jusbrasil.com.br
4 de Março de 2021

Advocacia e a Prestação de Serviços

Para ter sucesso na advocacia, é necessário você ter a visão de prestar o melhor serviço ao cliente

Eliza Novaes, Advogado
Publicado por Eliza Novaes
há 8 meses

O advogado é um prestador de serviços, vendemos os nossos serviços, entregamos o nosso conhecimento e tempo em troca de uma remuneração que são os nossos honorários.

Sabemos que durante cada momento de crise, surgem vários problemas na vida das pessoas. Já observamos isso em outras crises e na pandemia não está sendo diferente.

As pessoas estão com problemas, seja para renegociação de um contrato, seja para um divórcio, renegociar aluguel, cobrar o aluguel, trabalhista. Então, sempre após um grande período de crise, é normal a advocacia ter um período crescente de aquecimento. E os advogados precisam estar preparados para isso, de forma a vislumbrar as oportunidades e a partir ter novos e conseguir prospectar novos clientes.

É fato: as pessoas precisarão dos nossos serviços e o mercado da advocacia está sim se aquecendo para podermos trabalhar.

Mas ai é onde surge outro desafio: a concorrência irá aumentar e precisamos aprender a prestar serviços como os grandes advogados de sucesso estão prestando serviços.

A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS VEM DE SERVIR

A prestação de serviços vem da palavra SERVIR algo a alguém. Então, quando escolhemos trabalhar com serviços, escolhemos servir algo a alguém. Eu sei que muitos de vocês nunca pensaram isso de fato, mas é com essa visão que temos que sedimentar a nossa advocacia.

Então, eu quero que vocês se façam duas perguntas:

1) Quem é que de fato você está servindo? Quem é essa pessoa? A maioria dos advogados não tem essa clareza.

2) Como eu estou servindo a essa pessoa?

Eu tenho como escolher servir a essas pessoas, porém a gente nunca para refletir sobre esses pontos e acaba sempre prestando serviços da forma tradicional, sem buscar nunca melhorar e inovar. Essa é a grande verdade do nosso mercado.

A advocacia é um mercado muito tradicional, em que colocam em nós a forma de prestar os nossos serviços, porém podemos sim inovar, colocar a nossa autenticidade na prestação dos serviços e escolher servir os seus clientes de uma forma mais personalidade e que faça aquele cliente se sentir único. E com isso você vai se destacar no mercado jurídico.

Então, quando você vai para uma rede social e não tem medo em entregar conteúdo, não tem medo de mostrar para o seu cliente como ele pode resolver um possível problema que ele esteja passando e coloca com isso o seu jeito de fazer, a sua autenticidade, você está inovando dentro da sua área de atuação. Isso é criar uma nova forma de servir.

Será que a maneira que estou prestando serviços para alguém é a maneira atual ou é a mesma coisa que os outros advogados?

O perfil do advogado que cresce hoje e que as pessoas conseguem se destacar é aquele que tem proposito, tem clareza e que o advogado tem o seu negócio voltado em prestar o melhor tipo de serviço para o seu cliente.

Esse tipo de advogado consegue sentir o pulso do cliente e para isso acontecer, nós precisamos dar a mão para o nosso cliente, se importar realmente o que está acontecendo com o cliente e não ter uma visão superficial. Sentir quais são os problemas que o cliente realmente estar passando e assim você cria conexões a longo prazo com aquele cliente.

Você precisa se posicionar como guardião do seu cliente, porque se você resolver os problemas do seu cliente, você terá resultados e ganhará dinheiro.

Isso faz sentido para você? Curta o artigo e escreva o seu feedback para mim nos comentários pois isso e muito importante para mim.

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

sou uma cidadã comum, portanto olho de um outro angulo, admiro a profissão, foi um dos meus sonhos por um tempo, até cair numa realidade cruel, fui, sou e estarei sempre abaixo financeiramente do que é necessário para se ter uma boa formação, hoje meus sonhos já não podem ser sonhados, (tenho 68 anos).da profissão só me resta contatos pela Defensoria Pública, lenta e burocrática, ultimamente para mim de difícil acesso, as consultas pessoais que anteriormente conseguia eram feitas por estudantes que já não correspondiam aos meus anseios, muitas perguntas umas sem respostas e outras com respostas vagas, talvez seja mesmo culpa minha..... neste momento tenhos perguntas não respondidas e outras no aguardo, ando assustada, a ultima advogada que tive acesso me assustou com a procuração enviada para que assinasse, preciso de uma cópia de um processo já arquivado datado de 5 de Agôsto de1955, ao qual sobrevivi me sentindo injustiçada, precisava ler, aplacar dentro de mim essa ausência de jutiça criada durante este periodo marcante em minha vida.... continuar lendo